Aplicar o conceito de sustentabilidade em uma obra não significa apenas instalar um painel solar no telhado para geração de energia elétrica. Apesar dessa ser uma boa iniciativa, para que a obra seja verdadeiramente sustentável, é preciso que o conceito seja o guia do projeto, se manifestando em várias etapas. Dessa forma, os impactos ao meio ambiente serão reduzidos ao máximo durante e após o término da construção ou reforma.  

Apesar de amplo, o princípio pode ser facilmente aplicado através de algumas iniciativas simples, exigindo apenas um pouco de planejamento e boa vontade. Além de garantir melhor qualidade de vida para a atual e as futuras gerações, aliar a sustentabilidade com o seu projeto faz bem para a saúde financeira, economizando tanto durante a obra, quanto posteriormente.

Confira a seguir quatro sugestões para colocar em prática o conceito de sustentabilidade na sua empreitada.

 

Valorize a iluminação natural

quarto claro sustentabilidade

Janelas amplas, no estilo porta, permitem a entrada de bastante luz natural, economizando energia. O piso Clássico Cru, da linha Neutra, potencializa essa iluminação

O ideal é explorar ao máximo as aberturas que consigam aproveitar bem a iluminação natural. Afinal, o consumo excessivo de energia elétrica é prejudicial para o meio ambiente e para o bolso. Grandes janelas e portas promovem a sensação de amplitude e facilitam a entrada de luz. Outra sugestão são as paredes construídas com cobogós. Também conhecidos como bloquinhos, são elementos vazados utilizados para criar divisórias charmosas que auxiliam na ventilação e iluminação do ambiente.

A escolha das cores também ajuda nessa missão. Apostar em tons mais claros nos pisos e nas paredes deixa o espaço elegante e amplo. Além disso, absorve menos energia, mantendo a temperatura agradável e, consequentemente, evitando a utilização constante do ar-condicionado.

Infinita Branco é uma ótima sugestão para a aplicação da técnica. Outra proposta interessante é aproveitar o glamour do mármore branco, como Carrara Statuario, da linha Clássica. Ele forma uma composição elegante e funcional com a cerâmica Mosaico Bianco, da linha Decora Branco, na parede.

composição de sustentabilidade

Carrara Statuario forma uma composição elegante e funcional com Mosaico Bianco

É possível também utilizar tons mais escuros no mobiliário para fazer o contraste com o revestimento e, mesmo assim, manter o espaço bem iluminado, como nessa proposta com a cerâmica Bianco Gioia, da linha Clássica. Detalhe para a eficiência da porta interna de vidro, que transmite elegância e facilita a passagem da luz natural.

mobiliaria escura

Apesar do mobiliário com tom escuro, cerâmica Bianco Gioia ajuda a manter a temperatura agradável

 

Defina o material com cuidado

Outro fator importante é a escolha do material. Em primeiro lugar, é necessário eliminar do vocabulário que projetos sustentáveis são caros. Quando bem planejados, eles conseguem ajudar o meio ambiente e, ainda, economizar.

O tijolo ecológico é um exemplo. Diferentemente do convencional, o produto não utiliza o cozimento em seu processo de fabricação, evitando assim o aumento da quantidade de gases do efeito estufa na atmosfera. Além disso, exige uma quantidade menor de argamassa para o assentamento.

Nos acabamentos, a cerâmica é um produto sustentável por natureza. Principal matéria-prima na fabricação do produto, a argila é retirada de camadas mais superficiais do que os demais materiais naturais, uma característica que facilita a recuperação das jazidas. Ela é uma ótima substituta para o mármore, a madeira e a pedra, já que consegue reproduzir diversos materiais com menor impacto ambiental.

A cerâmica utiliza pouquíssima água em sua produção – cerca de 3%. Assim, é mais sustentável do que o porcelanato, outro tipo de revestimento cerâmico, reconhecido por sua alta qualidade e resistência


area externa com sustentabilidade

Trastevere, da linha Lazer, é ideal para trabalhar o conceito de sustentabilidade em ambientes externos

 

Promova o descarte regular

Em uma obra, os resíduos podem e devem ser reutilizados. Alguns servem para a construção. Outros, podem se transformarem em objetos decorativos com um pouco de criatividade. Mesmo assim, muito entulho é produzido. Infelizmente, algumas pessoas ainda promovem ou ignoram o descarte irregular, apesar da resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) determinar que o gerador é responsável pelo material e, por isso, pode ser punido.

O problema grave representa grande prejuízo para os municípios. De acordo com a Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil e Demolição (ABRECON), o descarte irregular promove danos à saúde pública, contaminação do solo e do lençol freático, desvalorização de vias, atração de ratos e baratas, entre outras situações.

Além de uma melhor gestão dos resíduos produzidos, a conscientização faz parte do processo de preservação do meio ambiente. Uma ação simples e fácil para se colocar em prática é sempre exigir o Controle de Transporte de Resíduos (CTR) ao contratar uma caçamba estacionária. O documento comprova que o entulho recebe a destinação correta. E sempre é bom relembrar: terreno baldio não é depósito de lixo.

 

Avalie os fabricantes

Com diversas opções à disposição, o consumidor precisa avaliar as marcas existentes no mercado e, assim, identificar empresas que compactuam com os princípios da sustentabilidade. Antes de seguir para a loja de material de construção, uma pesquisa rápida na internet facilita reunir as informações necessárias. 

Fábrica da Pointer comprova que é possível unir práticas sustentáveis com alta eficiência e qualidade

Construída em Marechal Deodoro (AL), a fábrica da Pointer é a mais moderna e sustentável do segmento no Brasil. Para fazer mais com menos, utiliza tecnologia avançada, evitando desperdícios e preservando o meio ambiente.

Alguns dos diferenciais são: processo produtivo com 100% de gás natural, reaproveitamento do calor dos fornos e de toda a água industrial, jardim de placas fotovoltaicas para energia solar, estação de tratamento de efluentes industriais e sanitários, captação e reutilização da água da chuva e emissão apenas de vapor de água, sem fumaça poluente.